DOSE DE HOJE – Descansar?

Ontem o dia foi de “descanso”. Mas, é claro, em casa onde tem crianças, ninguém descansa de verdade.

Às 6:55 o Paulo acordou apavorado: – Amor, são 6:55. Você não tem que acordar a Luiza? – Puxa! Não sei como aconteceu, mas o despertador não tocou e a carona da Luiza sempre passa às 7 em ponto. Afe, correria na certa! Coloquei os óculos de grau (7,5 de miopia, sabia?), e corri para o quarto da Luiza. Ao contrário de todos os dias em que ela chuta a coberta e reclama que passou frio, hoje, ela estava parecendo dentro de um casulo, envolta nas cobertas de tanto frio, tadinha. Então, dei uma chachoalhada no ombro dela para acordá-la: – Lulu, daqui a 5 minutos sua carona vai chegar, dá uma corridinha aí, filha! – ela já levantou num pulo. Enquanto ela se aprontava como um foguete, eu fui aprontar seu leite com toddy e bisnaguinhas com margarina, que ela adora! Comeu engolindo. Deu 7 em ponto. Cadê a carona? – Mãe, fica olhando porque o carro do vô da Maria Luiza não faz barulho. – e fiquei à espreita. 7:05… 7:08… 7:10 o carro chegou, ufa! Conseguimos! Não precisava ter corrido tanto mas tudo bem! Luiza foi para escola. Tranquei a porta de casa.

7:11 Davizinho começou a “chiar”. Então, esquentei um leitinho para ele e levei até o seu quarto. Ele mamou dormindo, debaixo das cobertas. Lindinho! Então, já aproveitei para trocar a fralda por uma limpinha e envolvê-lo na cobertinha.

Voltando para meu quarto, fiquei feliz em lembrar que era segunda e que eu poderia descansar mais, depois de um fim de semana tão corrido. Olhei no relógio, eram 7:30. Hoje eu posso dormir até as 10:00hs!

Às 8:00 ouço um “tum tum tum” sem parar… infelizmente, os pedreiros da construção ao lado são bem pontuais.

Anúncios

O que o sono não faz com a gente!

Nesta madrugada, às 4:30, o David acordou querendo mamar. Ele não acorda chorando. Mas, pelo choraminguinho que ele dá, eu já sei que ele está com fome.

Tirei ele do berço ainda no escuro e acendi o abajur para amamentar. Me sentei na poltrona e coloquei ele para mamar. Mas, ele começou a ficar muito irritado comigo. Não queria mamar de jeito nenhum, ficava me empurrando com as mãozinhas. Fiquei pensando que, talvez, ele estivesse com cólica por estar com fome, mas não. Adivinha? O coitado do bebê estava tentando mamar, mas eu ainda nem tinha tirado o sutiã.

O que o sono não faz com a gente!