Circumstances::Circunstâncias

Circumstances

Two weeks ago I was celebrating my pregnancy.
My daughter was excited to know that was not the only one anymore.
We, as parents, are very happy to have one more member to complete our family.
We were already doing the accounts for due date.

Last week I woke up bleeding.
I went to the hospital and the news was not very good.
However, the doctor asked me absolute rest.

Next day, during the ultrasound,
the doctor said there was no further embryo forming,
and I, probably, had aborted.

The feeling of emptiness took me serious. All of us. All of our thoughts.
For a moment, I was with a heavy guilt on my shoulders,
trying to remember what I had done wrong
or what I should do to avoid.

That day, the beautiful sunshine outside, was gray for me.
The trees with their beautiful flowers were not any sense.
And, instead of pretending that anything was happening,
I stayed at home
and decided to stop and reflect.

Next day, woke up and took a shower.
As if I was trying to clear the waste from depression of the previous day.

Although it has not changed circumstances,
once again, amid the circumstances,
I could hear the voice of God.

Understanding, once again,
that my circumstances do not change who God is.

God.
Full of love and kindness.
God.
Full of mercy and grace,
of power and majesty.

And in the midst of all,
the Great God really cares about me?

He is my Great God
and has a great plan for everything.

The circumstances can not change
what God called me to do.

The circumstances can not change
whom He called me to be.

Because this is the God of my story.

He is bigger than any circumstance.

Kelen Franco, March 21, 2009

Circunstâncias

Há duas semanas atrás eu estava comemorando minha gravidez.
Minha filha ficou ansiosa em saber que não seria mais sozinha.
Nós, como pais, ficamos felizes com mais um membro para completar nossa família.
E já estávamos fazendo as contas para o dia do nascimento.

Semana passada eu amanheci com sangramento.
Fui levada ao hospital e as notícias não foram muito boas.
Porém, a médica me pediu repouso absoluto.

Dia seguinte, durante a ultra-som,
a médica disse que não havia mais nenhum embrião se formando,
e que eu, provavelmente, havia abortado.

A sensação de vazio tomou conta de mim. De nós. Dos nossos pensamentos.
Por um instante fiquei com uma culpa pesada sobre meus ombros
tentando me lembrar o que eu havia feito de errado,
como poderia ter evitado.

Aquele dia, apesar do sol lindo lá fora, estava cinzento.
As árvores com sua lindas flores não faziam sentido algum.
E, ao invés de fingir não estar acontecendo,
eu fiquei de molho em casa
e resolvi parar para refletir.

Dia seguinte, acordei e tomei um banho daqueles.
Como se estivesse tentando limpar os resíduos da depressão do dia anterior.

Apesar de não ter mudado as circunstâncias,
mais uma vez, em meio às tribulações,
eu consegui ouvir a voz de Deus.

Consegui entender, mais uma vez,
que minhas circunstâncias não mudam quem Deus é.


Deus.
Cheio de amor e bondade.
Deus.
Cheio de misericórdia e graça,
de poder e majestade.

E, em meio a tudo isso,
esse Grande Deus
se importa comigo?!

Ele é meu Grande Deus

e tem um Grande Plano para tudo.

As circunstâncias não podem mudar
o que o meu Deus me chamou para fazer.

As circunstâncias não podem mudar
quem Ele me chamou para ser.

Porque esse é o Deus da minha história.

E Ele é maior do que qualquer circunstância.


Kelen Franco em 21/03/2009
Anúncios