Deitar e ser guiado para ter alívio!

ImagemO mundo corrido de hoje para mim, e para a maioria das pessoas, tem sido assim: acordar, trabalhar, almoçar, lembrar de colocar gasolina no carro. Levar os filhos, buscar os filhos. Passar no mercado para comprar o que está faltando, passar na padaria para comprar pão. Chegar em casa e já juntar as coisas fora do lugar, quando se tem um filho de 3 anos, enquanto põe o leite para esquentar e arruma a mesa do lanche. Logo que todos acabam, tv ligada, tira tudo da mesa e lava toda a louça. Dá banho nas crianças. Faz o jantar. Põe o relógio para despertar e se deita… Ah… mal fecha os olhos para dormir, o relógio desperta. Mas é hora de levantar de novo? Pode só mais 5 minutinhos?

A agenda é apertada para todo mundo. Estamos no século XXI e não dá mais para voltar atrás, morar na fazenda, tirar leite da vaca… até porque isso, nos dias de hoje, iria atrasar o andamento das coisas aqui em casa (rsrsrs). Já pensou? Não me imagino fazendo isso. Me desculpe os que fazem mas eu sou totalmente urbana e, depois da internet, sou ainda mais humana!

Mas, parar com tudo em algum momento do dia, para deixar-se ser renovado por Deus e tentar, apesar das buzinas, cachorro da vizinha latindo e o guardinha passando com a moto de 10 em 10 minutos… vale a pena tentar ouvir aquele passarinha cantando lá longe, despreocupado… para mim, isso é o que me renova e faz toda a diferença.

A Bíblia diz no Salmo 23, “Ele me faz deitar em verdes pastos”… os verdes pastos para mim é minha cama. Quando decido me desligar um pouco de tudo e de todos, pedir licença para a família, e ao som de uma música escolhida com carinho, eu tiro meu tempo para ler e refletir. E é quando leio com calma as revelações que Deus tem para mim para tentar entender de forma clara, como posso aplicá-las ao meu dia-a-dia. Deitar em verdes pastos… descansar sabendo que Ele é quem provê todas as coisas… o pasto, a vaca, o leite…

Tem dias que… você sabe… são bem difíceis… A gente se perde nos pensamentos. E, na maioria das vezes, nos perdemos nos pensamentos ruins, que nos trazem tristeza. Deixamos nossos pensamentos voarem nas coisas que não podemos fazer, que não temos controle, que somos impotentes e que só trazem ansiedade e depressão. É nesse “dia mal” que eu preciso de um guia, “Guia-me a águas tranqüilas”, Aquele que sabe os caminhos pois é O único caminho… dias em que eu preciso de águas tranqüilas, mas não aquelas paradas e monótonas com mosquito da dengue… Águas de uma Fonte que se renova constantemente, que nunca seca… preciso de água no meio da terra seca, de um mundo seco, de pessoas secas e vazias, de uma correria que quer me abater. Água! Água!

Então, ao final do meu encontro com o meu Pai Celestial, sinto que sou outra pessoa. Ele “refrigera a minha alma”. Sinto alívio. Me sinto mais leve e renovada, apesar de alguns problemas não terem sido solucionados porque ainda vivo neste mundo. O refrigério me traz alívio. O alívio me traz paz. Me sinto de outro mundo e me lembro que, na verdade, eu não sou daqui! Que um dia eu vou voltar para casa do meu Pai e tudo vai fazer sentido. Vai ser menos corrido…

Vale a pena se deitar na grama, na cama… e parar para ouvir.

Vale a pena ser guiado por Alguém que tem o controle e o poder sobre todas as coisas.

Vale a pena ter alívio na alma nos dias da correria.

Deitar-se. Render-se nos braços de Cristo.

Ser guiado por Ele e querer seguí-Lo.

Ter alívio na alma. Ter paz no meio da correria.

Anúncios