Chuva, dor de cabeça e trânsito

ImagemEsses dias acordei com dor de cabeça. Procurei o “Cefalium”, um dos poucos remédios que realmente tiram minha dor de cabeça, mas não achei. E, fiquei com aquela dorzinha chata me incomodando a manhã toda. Meus olhos nem se abriam direito, pareciam dois faróis de milha… como se deixar os olhos entreabertos fizesse a dor diminuir.

O dia estava chuvoso e frio. Davizinho acordou e ficou debaixo das cobertas assistindo tv encolhido e fui trabalhar. Mas confesso que computador e dor de cabeça não funcionam. Aquela luz por detrás do computador faz você lembrar mais frequentemente da dor…

Deu 11:40am e me lembrei que tinha que buscar a Luiza na escola. Coloquei o Davizinho no carro e saimos. Chuva, trânsito e dor de cabeça. Mas não passou ainda? Que coisa! Uma fila de carros para pegar os filhos na escola e o cavalheirismo zero de sempre que encontro em Londrina.

No caminho de volta mais chuva, o David reclamou:

– Mãe, quero vomitar. – parei rapidamente o carro e tirei ele às pressas.

– Filho, pode vomitar. Está tudo bem.

– Mãe, eu quero vomitar na grama. – ai, meu Deus! Olha eu procurando uma grama debaixo do chuva… achei!

– Aqui, querido, está tudo bem?

– Acho que melhorei, mãe! Eu não vou mais vomitar.

Fiquei olhando para ele alguns instantes. Voltamos para o carro.

– Está tudo bem, filho?

– Sim.

Liguei o carro. Muita chuva, trânsito e dor de cabeça. Andamos duas quadras.

– Mãe, vou vomit….

Até esqueci da dor de cabeça.

Anúncios